Clube da Luta


Clube da Luta - É difícil um raio atingir duas vezes o mesmo lugar? O cinema nos mostra que é possível sim, e de quando isso acontece, sai de baixo porque o resultado, normalmente, é ESPETACULAR.


Quando todos imaginavam ser impossível David Fincher ("Vidas em Jogo") superar a genialidade e força de "Seven - Os Sete Crimes Capitais", eis que ele nos apresenta "Clube da Luta".


Nesse longa-metragem, Brad Pitt ("Lendas da Paixão") provou de vez ao mundo seu enorme talento. Em atuação mais do que inspirada, próxima da perfeição, o marido de Angelina Jolie evidenciou que além de conquistar o público feminino pela beleza, ele tinha talento e sabia atuar como poucos de sua geração. A parceria de Pitt com David Fincher se assemelha com De Niro e Scorsese. Um completa o outro.


Porém, seria inegável e injusto não elogiar também a atuação de Edward Norton ("Hulk"). Se no filme "A Outra História Americana" o ator provou sua enorme capacidade de desempenho, na obra dirigida por Fincher, Norton chega a um nível assombroso na arte de representar.


Mas, não se podem elogiar as atuações dos protagonistas sem citar a ótima direção do cineasta. Ele soube tirar atuações espetaculares e convincentes de praticamente todos os profissionais, inclusive da atriz Helena Bonham Carter ("Planeta dos Macacos"). A direção do filme é segura e isso é importante para a construção do genial roteiro da obra.


Outro ponto que merece destaque e os aplausos do público em geral é o roteiro: envolvente, cativante, angustiante e mágico. Uma aula de narrar história, com conclusão divina.


A fotografia é "limpa" como o longa-metragem exigia e a triha sonora angustiante e alucinante como os personagens da obra.


O final do filme, que leva todos a uma forte reflexão, é digno das maiores conclusões que a sétima arte apresentou em sua história. Se o público pensou que tinha visto tudo com "Seven" se enganou. Aqui a conclusão pode ser ainda mais sufocante e surpreendente.


Até surgir "Clube da Luta" eu acreditava que era praticamente impossível que um filme violento levasse ao mundo o questionamento social do cotidiano e da sociedade moderna. O longa-metragem protagonizado por Pitt e Norton nos faz respirara sangue até o último segundo e isso nos leva a muitos questionamentos e indagações sobre nossos atos dentro da vida real. Em alguns momentos me recordei do filme "Sob o Domínio do Medo", onde o pacato cidadão se revolta contra a angústia que esta sofrendo sem se preocupar com as consequências.


Palmas para a violência e sua crueldade. Somente gênios sabem usar a brutalidade para o bem da sociedade. David Fincher conseguiu.........de novo.


Aplausoso para ele de pé. Dentro do clube da luta, se for necessário.


Dedico esse texto ao ótimo site: www.cinepipocacult.com.br



Sinopse - Clube da Luta é um filme sobre uma geração que navega na Internet, tem um bom emprego e até boas oportunidade financeiras, mas não se sente ligada a nenhuma dessas coisas. Sem querer se enquadrar nesta vida, o personagem de Pitt prefere ser garçom. Ele conhece o nerd feito por Norton, um modelo de rapaz bem-sucedido na escola e na profissão, que vê Pitt urinando na sopa de um cliente muito pomposo e resolve abdicar de tudo para levar uma vida contra a sociedade bem comportada. Na rebeldia eles montam um clube de boxe, uma sociedade secreta onde as pessoas podem desafogar suas frustrações lutando contra oponentes que também estão querendo se aliviar de algum peso emocional. Não importa quem vença, no final do rund, os dois lados sentem que passaram por um sessão terapêutica. A sociedade do boxe ganha adeptos e ameaça a estabilidade nas ruas, ao mesmo tempo em que os dois sócios se apaixonam pela mesma mulher e isso ameaça a estabilidade da parceria.


Filme: 6 pipocas (obrigatório)

1 pipoca - péssimo
2 pipocas - ruim
3 pipocas - regular
4 pipocas - bom
5 pipocas - imperdível


32 comentários:

WOS disse...

Uns dos melhores filmes que vi em minha vida!!!

WOS disse...

Uns dos melhores filmes que vi em minha vida!!!

Guilherme Z. disse...

Só consegui assistir em 2011 este filme. Na época que estava no cinema eu queria muito ter ido ver, mas a classificação não permitia e a situação ficou pior depois de um triste episódio ocorreu em uma sala de São Paulo durante a exibição do longa. Felizmente, tal fato não destruiu a imagem do filme que continua chamando a atenção de cinéflos e curiosos. Bem legal lembrar dele neste post. Abs

http://acervodocinema.blogspot.com
http://memoriadasetimaarte.bogspot.com

Paulinha Leite disse...

Oi meu amigo! Entao, como vc esta?
Vim desejar um dia repleto de coisas maravilhosas pra vc, que sempre se faz tao presente em meu cantinho. Obrigada pelo carinho de sempre.
Abraco forte!

♪ Sil disse...

Tá ai um estilo de filme que minha filha amaaaaaaaaaaa rsrsrs..

Beijo Renato querido!!!

Jacques Fonseca Beduhn disse...

Este filme é perfeito para todo aquele que, equivocadamente, acha que não tem mais como ser surpreendido pela magia do cinema.
Valeu.

Gabriel Neves disse...

"O longa-metragem protagonizado por Pitt e Norton nos faz respirar sangue até o último segundo" não posso não concordar contigo. Quem diria que um filme que usa da violência abusiva teria tantas coisas a passar e se tornou um clássico contemporâneo? Realmente, Fincher caprichou aqui e mostrou, novamente, o que é faze cinema da melhor qualidade.
Abração!

testes disse...

muito boa resenha....vi no cinema, muuuito tarde, tinha que trabalhar no outro dia, mas compensou.....

testes disse...

Muito boa resenha...vi no cinema, muuuuuito tarde, tendo que trabalhar no dia seguinte, mas fui recompensado.... preciso rever...

Hugo disse...

Fincher é um grande diretor, seus trabalhos são ótimos e "Clube da Luta" é literalmente um soco no estômago.

Abraço

Tsu disse...

É realmente um excelente filme, com atuações magníficas e ótimo enredo.
Parabéns pela resenha!

http://www.empadinhafrita.blogspot.com

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Sou mais SEVEN, mas realmente também é um grande filme.
Abração e apareça,

O Falcão Maltês

maria elis. disse...

esse filme me traz lembranças do ensino médio, quando ficamos sem professor e meu amigo estava carregando o filme na mochila - pra devolver - e então conseguimos a liberação para assistir *-*

beijas, eterno :*

Rosane Marega disse...

BeijossSSSSS cheinhos de saudades!!!

Amanda Aouad disse...

Verdade, Renato, um filme que usa a violência como pano de fundo para questionar e buscar compreender a sociedade moderna. Acho uma obra-prima.

bjs

Rosane Marega disse...

Bom diaaAAA pessoa linda!!!
E que seja um dia Maravilhoso e cheinho de Amor!
BeijosSSSS

Rodrigo Mendes disse...

Exceto por Alien ³. Na verdade bem depois de Alien ³ o raio atingiu várias vezes na filmografia de Fincher. Seven, Benjamim Button, A Rede Social, citou Vidas em Jogo, ótimo tbm, mesmo "O Quarto do Pânico" - que é uma fita menor inspirada e o policial maravilhoso Zodíaco! Enfim, Clube é o primor dentre esses citados. Um grande filme no final de uma década interessante.

Pitt, Norton e Helena arrasam!

Abs.
Rodrigo

Fábio Henrique Carmo disse...

Filme pancada! Lembro que fui vê-lo com dois amigos pouco depois do incidente dos assassinatos em São Paulo. Saímos todos atordoados, mas impressionados com a qualidade da obra. Nunca mais vi "Clube da Luta" completo (somente alguns trechos na TV), mas nunca esqueci de várias de suas sequências. Fincher é gênio!

Tsu disse...

Oi Renato.
Opa eu estava devendo mencionar o clássico Labirinto. Era mais do que hora de postar algo sobre ^^

Adriana Vargas de Aguiar disse...

olá, bom dia!
passando para te desejar um lindo dia dos pais!a eles, que nos deram a vida e nos ensinaram a vivê-la com dignidade, não bastaria um obrigado.
Quem tem um amigo, mesmo que um só, não importa onde se encontre, jamais sofrerá de solidão; poderá morrer de saudades, mas não estará só.
Somos em seis agora lá no blog, e este endereço abaixo, é o link de minha postagem, um chero pra vc!

http://drisph.blogspot.com/2011/08/sua-bencao-meu-velho.html

Renato Hemesath disse...

Perfeito o que você escreveu sobre o uso da violência. É curioso como há trabalhos são capazes de explorá-la de modo muito minucioso, um uso além do entretenimento.

Ótima semana prá ti. Abraços

Anônimo disse...

TESTES......

Adriana Vargas de Aguiar disse...

não assisti ainda, mas pela descrição, parece ser muito bom.
Bom dia!

Tsu disse...

Oi Renato. Realmente Jigouko Shoujo possi uma presença bem interessante.

leandroaleixo disse...

Muito bom!!!Este filme e sensacional..adoro...eu tbm sempre posto filmes passsa la..bvamos ser parceiros....adorei seu blog!!!

Paulinha Leite disse...

Amigo, obrigada pela carinho de sempre! Essa reciprocidade é tao mágica. Abraco forte!

Adriana Vargas de Aguiar disse...

Passando para vc não se esquecer de mim, e deixar um beijão.

Passando para te visitar e lembrar que o blog agora está de cara nova, além de mim, Adriana, temos mais cincos autores em companheirismo no blog para escrevermos a vocês, é só procurar pelo nome ou foto das postagens do dia.
Lembrando que o sorteio de setembro, serão 16 livros, que já estão disponíveis no blog em "Parceiros" para vocês irem conhecendo o conteúdo.
Um beijo grande, e uma ótima semana, meu post de hoje está neste link, http://drisph.blogspot.com/2011/08/fechado-as-vezes-como-um-leque-ninguem.html#comments
Adriana.

@gladimir_taii disse...

Hi *-*'
Bom, primeiramente gostaríamos de dizer que teu blog é um arraso. adoramos o layout, muito bom mesmo, sem contar nas postagens...
Estamos seguindo, oks?
Se puder retribui? http://allstargt.blogspot.com

abraço @gladimir_taii

Marcos Rosa disse...

Um dos melhores filmes do Bred e do Norton. Fantástico, já o revi várias vezes.

http://algunsfilmes.blogspot.com/

Cristiano Contreiras disse...

Filme completo mesmo, que me deixa eufórico e é impressionante o roteiro! Norton cativa com uma atuação genial, tão boa quanto do "a outra história americana".

Pitt também tem um forte destaque!

Filmaço aço aço de Fincher e teu texto está muito bom, todo detalhado e conceitual. Parabéns!

Tsu disse...

Oi Renato..é, nada como um dia após o outro para nos fazer seguir enfrente, não é mesmo?

Mateus Selle Denardin disse...

Meu trabalho favorito de Fincher! Certamente, sempre é bom destacar as atuações viscerais dos dois protagonistas. Uma verdadeira obra de reflexão. Impecável. [10/10]