Jackie Brown


Jackie Brown – Continuando meus comentários sobre meu grande ídolo Quentin Tarantino, chegou a ver de falar sobre seu filme menos famoso e impactante: “Jackie Brown”.


Esse longa-metragem funciona para Quentin Tarantino assim como “O Quarto do Pânico” para David Fincher. Os dois filmes são bons, acima da grande média, mas, a expectativa criada, devido ao talento do diretor, fez com que as duas produções não conseguissem o sucesso desejado.


Se Fincher (“Seven”) em sua obra anterior tinha apresentado algo corrosivo e provocador como “Clube da Luta” não “poderíamos” aceitar algo menos impactante e foi exatamente o que o diretor nos apresentou com a obra estrelada por Jodie Foster. Se o filme fosse conduzido por outro profissional teria tido o devido sucesso.


O mesmo aconteceu com Tarantino em “Jackie Brown”. Após a bomba de “Cães de Aluguel” e o sucesso incondicional de “Pulp Fiction – Tempos de Violência” todos ficaram esperando algo tão explosivo ou abusado. Não foi o que ocorreu. O cineasta preferiu algo mais “comportado”.


Porém, isso não quer dizer que suas características e símbolos não estejam na obra, pelo contrário.


O diretor de Kill Bill em “Jackie Brown” preferiu uma narrativa na linhagem de “Rashomon”, onde vários pontos de vistas são apresentados. Entendo que funcionou bem na proposta apresentada. A direção é segura e o roteiro bem construído e instigante.


Como sempre os diálogos estão aguçados e dignos do grande mestre da violência. Algumas participações merecem elogios como: seu eterno parceiro Samuel L. Jackson, Pam Grier e Robert Forster (ator aqui ressurgido das cinzas, como o cineasta faz em toda produção).


Entendo também que Bridget Fonda, Michael Keaton, e meu ídolo máximo Robert De Niro, nos apresentaram personagens instigantes. A cena de sexo entre De Niro e Fonda simboliza o quanto é maluca a participação de ambos. Talvez, a cena de sexo mais cruel apresentada no cinema.


Nas obras de Tarantino quem tem talento para atuar possui espaço e força para mostrar sua força e ai esta o grande mérito do diretor da violência.


Sou fã das trilhas sonoras de Tarantino, compro todas, entretanto, não tenho como negar que apesar de alguns bons nomes, como Johnny Cash, a trilha no longa-metragem não me agradou tanto.


Mas, somando acertos e subtraindo as falhas, acredito que “Jackie Brown” é um bom filme policial. Não tão bom quanto desejamos ou gostaríamos, por ser dirigido por Tarantino, mas, um bom filme. Com certeza.


Sinopse – Jackie Brown é uma aeromoça, funcionária de uma companhia aérea de segunda linha, que reforça o seu baixo salário trazendo para o país dinheiro sujo de um traficante de armas, Ordell Robbie. Um dia, ela é pega por policiais com uma alta soma numa mala. Mas estes lhe oferecem a liberdade se os ajudar a pegar o traficante.


Filme: 4,5 pipocas


1 pipoca – péssimo

2 pipocas – ruim

3 pipocas – razóavel/regular

4 pipocas – bom

5 pipocas – imperdível

23 comentários:

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

JACKIE BROWN tem seu charme. É um injustiçado.

O Falcão Maltês

Anônimo disse...

Concordo com o amigo acima: injustiçado.

Cristiano Contreiras disse...

Esse eu, até hoje, nem assisti, acredite. Tenho aqui, mas sempre deixo pra depois. Vou procurar recuperar o tempo perdido.

Ótimas pontuações, abraço

Amanda Aouad disse...

Seu especial de Quentin Tarantino tá ótimo. Gosto de Jack Brown tb e concordo que foi um pouco injustiçado.

Rafael W. disse...

É o pior do Tarantino, mas ainda assim é excelente!

http://cinelupinha.blogspot.com/

Gabriel disse...

Ainda nem vi, de Tarantino só falta esse e Cães de Aluguel pra mim. Vou procurar os dois bem rápido.
Abraços.

Jacques disse...

Vi este filme somente uma vez um tempão atrás.
E ele não é ruim ,não.
Só é um pouco inferior aos demais, mas ainda assim vale a pena.
Até mais.

Tô Ligado disse...

Bom diaaa... Domingo começando muito bem

Desejos, planos... enfim, nada melhor para começar bem a semana.

Ah, blog voltando ao normal a partir de hoje. http://toligado1.blogspot.com/

Bom domingo!!!

Tsu disse...

Oi Renato!

Ainda não vi esse filme..mas irei ver agora! Caramba, com o De Niro rs. Tenho de ver


Ah mas o conceito do bizarro que quis me referir no papo furado é com relação á paranóia das pessoas..gente que tem idéias e julga coisas que não possuem qualquer conexão. Algo originado de brigas e pré-conceitos...

bjs
http://www.empadinhafrita.blogspot.com

♪ Sil disse...

Vim deixar um abraço pra esse meu amigo tão querido!!


Beijoooo Renato!

Tsu disse...

Oi Renato.
Bom, se você se interessou por cosplays, dá uma olhada na sessã ocosplay que tenho no blog...tem cada um lá...inclusive postei alguns cosplays de Laranja Mecânica e do Labirinto (aquele filme com David Bowie).

http://www.empadinhafrita.blogspot.com

Fábio Henrique Carmo disse...

Esse é o único de Tarantino que eu ainda não vi. Falha grave, que vou procurar solucionar brevemente!

Tsu disse...

Oi Renato.
Eu não falei que os cosplays poderiam te surpreender? E eu já achei cada coisa legal...aos poucos vou postando no blog.
Poxa fico feliz em saber que meu blog te interessou! Tem alguns cosplayers de anime que são sensacionais também, depois dá uma olhada!

Guará Matos disse...

Um forte abraço em você. Estou excluindo hoje e já esse blog. Conto contigo nos seguintes endereços: www.abordagenseimpressões.com (Site) e no http://abordagenseimpressoes.com/press (Blog Wordpress).
Gostaria de lembrar que para eu comentar é preciso que espaço para comentário tenha a opção “nome e url”.
Valeu mesmo e vamos recomeçar.

Tsu disse...

oi Renato.
Opa, o cosplay de Curinga é popular atualmente, sempre vejo nos eventos...tanto do Curinga "clássico" quanto do "novo". Quando eu fizer a sessão cosplay desse personagem, quem sabe até lá você já tem a foto para que eu possa publicar?

Aproveitando...eu adoro literatura de horror/suspense. Sempre gostei...eu estou tentando escrever meu livro...não é de horror mas envolve vampiros (a la Anne Rice e não aquela porcaria Crepúsculo) e um outro referente á mitologia...mas como deixo as tramas complexas, estou muito longe de acabar.

http://www.empadinhafrita.blogspot.com

Tsu disse...

Oi Renato.
Nossa fico sempre surpresa com a capacidade das pessoas de publicarem bons livros em nosso país. Isso me incentiva a tentar continuar escrevendo para um dia pdoer conseguir. Fico no aguardo...o evento ocorrerá em SP?

- cleber eldridge disse...

Esse é talvez o mais fraco da filmografia de Tarantino, apesar dos diálogos bem inspirados.

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

O que aconteceu a Pam Grier? Por onde andarás?

O Falcão Maltês

Tsu disse...

Oi Renato.
Opa, na Av Paulista é ótimo...ainda mais no findis...me deixe informada sim porque se me for possível, pretendo ir.

Tsu disse...

Oi Renato
Opa legal! Vc pretende estar lá no dia do ançamento do livro? Já pensei em complicar os artigos meus de anime e fazer um livro tipo de referência...

! Marcelo Cândido ! disse...

Nunca assisti a Jackie Brown
!!!

Vinicius.C disse...

Fla rapaz!!

Estou sempre passando por aqui para ver as novidades da sétima arte- tudo perfeito!

Deixo o meuabraço e desejo a vc um ótimo fds!

Espero por vc no Alma!

Tsu disse...

Oi Renato.
Então eu mencionei o Drácula de Bram Strocker agora no post. Eu pensei em colocá-lo mas achei mais justo colocar o Drácla de 1931. O que gosto nos vampiros (e que Anne Rice e o criador de Deixa Ela Entrar fizeram) é colocar o vampiro consciente do peso da imortalidade. Todos são solitários, complexos e insanos.
Eu recomendo que veja o Sede de Sangue..é do mesmo diretor de Oldboy.