COSMÓPOLIS





Quando o crédito do filme "Cosmópolis" subiu me perguntei: "Como esse filme e suas indagações seriam perfeitos se tivessemos um protagonista a altura e com o talento do diretor David Cronenberg ("Gêmeos - Mórbidas Semelhanças"). Me peguei imaginando Jack Nicholson ou Robert De Niro no papel principal e pirei com o vigor imortal que eles teriam dado ao personagem Eric Packer. Porém, apesar de saber que serei malhado por criticar o eterno par romântico da saga crepúsculo, a verdade é que o filme possui um ritmo tenso e, em certos momentos, cruel e reflexivo. Ou seja, apesar de não gostar nada do trabalho realizado por Pattison, gostei muito do filme e, principalmente de sua conclusão.
 
 
Os diálogos do filme, a meu ver, se possuissem um ator espetacular como protagonista, teria marcado os cinéfilos de plantão. Isso não ocorreu por pura escolha ruim de Cronenberg, que nesse quesito, merece vaias, assim como as que levarei dos fãs de Robert Pattison. Senti que Paul Giamatti ("A Minha Versão do Amor" - um belo filme que merece ser visto) , Kevin Durand (série "Lost"), Juliette Binoche ("A Liberdade é Azul") e Samantha Morton ("Poucas e Boas") não tiveram um parceiro a altura em cena. Um desperdício de talento de atores tão inspirados, apesar de alguns terem feito apenas participações especiais.
 
 
Peço liberdade para citar o site http://omelete.uol.com.br/cosmopolis/cinema/cosmopolis-critica/ que disse: "os filmes de David Cronenberg frequentemente tratam de transmutação entre homem e máquina, um processo ora surrealista, ora realista. Tenho que afirmar que concordo plenamente com essa citação e digo ainda que Cronenberg, mesmo para quem não gostou de "Cosmópolis" precisa elogiar o filme, pelo menos, pela coragem do diretor em sair dos roteiros padrão e arriscar por um caminho mais frio, mórbido e triste. Tudo bem que em outros trabalhos o diretor foi ainda mais ousado e corajoso, entretanto, é inegável, que aqui ele também fugiu do cinema comercial para contar sua história. Talvez não de forma tão radical quanto em outros projetos, mas, ainda assim o filme possui o estilo Cronenberg de trama.
 
 
Em certos momentos o filme me lembrou, vagamente, produções de road-movie, onde os personagens buscam se encontrar através de uma viagem externa......e interna ao mesmo tempo. Em outros instantes o filme me levou a obras como "Brazil - O filme" pelo estilo futurista e visual (bela fotografia é realizada em "Cosmópolis"). Assim como também me veio a mente a obra "Vivendo no Limite" de Scorsese. E essa mutação de tudo dentro do mesmo liquidificador cinematográfico que foi o que mais gostei na obra. Esse longa tem cara própria, sem esquecer de nos trazer a memória obras tão relevantes quanto as que citei acima.
 
 
Outro ponto que achei que escorregou na obra, pelo meu gosto pessoal, foi a trilha sonora, que poderia e deveria ter sido melhor trabalhada.
 
 
Texto dedicado a amiga Rubi, do site http://allclassics.blogspot.com.br/ -Site que recomendo de olhos fechados.......e coração cinematográfico aberto.



Sinopse - A cidade de Nova Iorque está em tumulto e a era do capitalismo está chegando ao fim. Uma visita do presidente dos Estados Unidos paralisa Manhattan e Eric Packer (Robert Pattinson), o menino de ouro do mundo financeiro, tenta chegar ao outro lado da cidade para cortar o cabelo. Durante o dia, ele observa o caos e percebe, impotente, o colapso do seu império. Packer vive as 24 horas mais importantes da sua vida e está certo de que alguém está prestes a assassiná-lo.



Filme: 4,5 pipocas


Atuação do protagonista: 2 pipocas


1 pipoca - péssimo
2 pipocas - ruim
3 pipocas - razoável/regular
4 pipocas - bom
5 pipocas - ótimo

19 comentários:

Celo Silva disse...

Gostei do texto. Não sou fã de Pattinson, acho a maioria dos seus trabalhos ruins. No entanto, em Cosmópolis acho q ele cai muito bem no papel do babyboomer, do garotão que ascendeu muito rapidamente e perdeu o gosto pela vida. Vive de prejudicar os outros e sempre paranoico. De Niro é um grande ator, se ele ainda fosse jovem, seria uma boa mesmo.

Abração!

Ro Soares disse...

como sempre um belo texto também não sou fã de Pattinson, com certeza De Niro ou Nilchoson são ótimos mais pelo visto teriam que estar mais jovens para o papel.Parabéns.

Gilberto Carlos disse...

Adoro os filmes de David Cronemberg, mas esse não vi ainda.

Cristiano Contreiras disse...

Gosto da maneira como o filme inicialmente se mostra "lento" e frio, mas vai ganhando força e, ao fim, culmina numa agonia pura. Uma tensão. Acho que Pattinson está inspirado aqui. O filme não acho complexo, o problema é a gama de informações e diálogos rápidos, temos que estar realmente ligado em tudo. É tudo ágil e intenso, ferino. Gosto do filme e acho a crítica que faz perfeita. É o tipo de filme que realmente não agrada a todos. Me surpreendeu.

Adorei ver ele resenhado aqui!

Marcão disse...

Gosto do cinema de Cronenberg mas ainda não assisti Cosmopolis por questão de tempo e críticas não tão motivadoras.

Esse texto do Renato me incentivou à assistí-lo.

Obrigado - Abraço

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Amo Cronenberg, mas esse filme decepcionou-me - e não só pela esperada inexpressidade de Pattison.

O Falcão Maltês

Iza disse...

Sabe me interessei bastante por Cosmopolis? Achei o trailer bem interessante. Mas sei lá, acho também que o protagonista devia ser outro. Mas gostei do seu post.
Abraços e boa semana.

Fábio Henrique Carmo disse...

Bem, ainda não vi esse, mas tenho boas expectativas. Cronenberg sempre é uma boa pedida, mesmo que tenha Pattison encabeçando o elenco. Abraço!

Maxwell Soares disse...

Não conheço o filme, Renato. Nunca vi nada com este diretor. Já é hora de suprir esta carência. Valeu a dica, irmão...

Adecio Moreira Jr. disse...

Cara, eu fui um dos gatos pingados que simplesmente DETESTOU esse filme.

Tem um ou outro momento que me impressionou, mas, de modo geral, achei um digníssimo tédio.

Abração!

Amanda Aouad disse...

Sinto tanto esse filme nunca ter chegado a Salvador... :(

Rodrigo Mendes disse...

Enrolei e enrolei...e ainda não conferi o filme Renato! Muitos até elogiam o Pattinson, outro não. Não sei o que dizer. Sou é fã mesmo dos filmes do Crona!

Preciso assistir urgentemente!

Gostei na análise.

Abs.

Stella Daudt disse...

Renato, simplesmente detestei Cosmópolis, e não foi por causa do Pattinson. Achei o filme um tédio. Não me envolveu em momento algum e, se assisti até o fim, foi por ser um filme do Cronemberg; costumo gostar do seu trabalho, com exceção deste, é claro. Já estou esperando o próximo: "Maps to The Stars". Até então meus favoritos foram Spider, Marcas da Violência e Senhores do Crime.

Dayane Pereira disse...

Eu ainda não vi este filme, quero ver com certeza, principalmente pela curiosidade na atuação do Pattinson. Sabe que eu acho que ele é um bom ator, apesar do estigma que carrega pelo pseudo vampiro de saga adolescente.

Felipe Junior Pereira disse...

Opa,bom dia,Sou da equipe detive-particular.com Olha eu aqui denovo,blog muito bom,sempre que dá passo por aqui,continua postando ai,quero ver isso aqui cada vez melhor,alguem ai sabe desse site http://www.rastreadorgps.org/ ? to querendo saber se é bom,dizem que rastrea carro,moto,pessoas até...alguem ja ouvir falar?abraços,bom trabalho ai com o blog que ta fera!

d é h disse...

Eu ainda não tive a oportunidade de ver esse filme, mas fiquei bastante instigado pelo seu texto.

Abraço.

Anônimo disse...

Apesar de eu ter gostado um pouco da atuação de Pattison, eu acho que o melhor ator para esse jovem é o Ryan Gosling

Tô Ligado disse...

Opaaa,

o Tô Ligado! está voltando aos poucos... apareça por la!

Abrs

Falando Sobre Livros...Nita disse...

Nossa estou louca para ver esse filme. Não é segredo que adoro o Robert, sou fã de ''Crepúsculo'' mas na verdade quero ver pq me falaram que o filme quase todo se passa dentro de um carro, estou curiosa para ver como funciona. Isso me lembrou ''O Terminal'' onde o Tom Hanks ficou o filme todo dentro de um terminal e o filme foi incrivel.
Muito bem construída sua critica Renato, gostei muito. Bjos